fbpx

Como funciona a curva do esquecimento?

Se você está se preparando para concurso público, em algum momento pode ter se feito a seguinte pergunta: como funciona a curva do esquecimento?

Antes de tudo, quem estuda para concurso sabe o quanto a memória é essencial, especialmente para a hora da prova. Mas então, como superar os efeitos da curva do esquecimento?

Neste post, explicaremos o que é a teoria e como combater os seus efeitos durante as horas dedicadas à preparação. Confira!

como funciona a curva do esquecimento?

Saber como funciona a curva do esquecimento é o primeiro passo para superá-la (Foto: Freepik)

O que é a curva do esquecimento?

Criada em 1885 pelo filósofo alemão Hermann Ebbinghaus, a Teoria da Curva do Esquecimento é uma representação gráfica de como a memória e a retenção de informações pelo cérebro funciona.

Resumidamente, essa teoria diz que:

  • Em 20 minutos, você esquece 42% do que aprendeu
  • Depois de uma hora, esquece 56%
  • Em 30 dias, já se foram cerca de 80% dos conhecimentos que você adquiriu

Como funciona a memória?

É natural que o cérebro descarte certas informações com o tempo e retenha apenas aquelas que considera mais importantes. Isso porque a nossa memória é dividida em memória de longo prazo e de curto prazo.

Quando a informação transmitida pelos órgãos sensoriais chega no cérebro, ela vai para uma primeira região chamada de hipocampo, a parte responsável pela memória de curto prazo.

A memória de curto prazo vira de longo prazo quando você está dormindo, nas fases profundas do sono. Por isso, para ter um bom rendimento intelectual, é preciso ter uma noite de sono completa.

Diminuir os estímulos à sua volta enquanto está estudando, de forma a aumentar a concentração no assunto em vista, além de um estilo de vida saudável, acompanhado de boa alimentação e exercícios físicos, também contribuem para o bom funcionamento da memória.

No geral, são dois os fatores que contribuem para que uma memória de curto prazo vire de longo prazo e, assim, fique mais bem armazenada no cérebro: o aspecto emocional e um fenômeno chamado de associação (muito utilizado nas técnicas de estudo e memorização).

E é aí que entra a revisão!

Como vencer a curva do esquecimento?

Além de levar um estilo de vida saudável e ter um espaço de estudos que lhe incentive a manter o foco, uma das formas mais eficazes de vencer a curva do esquecimento é através da revisão.

Existem diversas maneiras de revisar. E uma não é necessariamente melhor do que a outra. É uma questão de testar os diversos métodos e entender qual se adequa melhor a você e as suas necessidades!

Mapas mentais

Os mapas mentais são uma excelente forma de tornar o conteúdo mais visual. Usando um assunto como nó, é possível destrinchá-lo em outras palavras-chave ligadas por radianos entre si, criando assim uma associação mais resumida sobre o tópico que está sendo estudado.

Flashcards

Os flashcards são literalmente cartões. A ideia é que você coloque uma pergunta de um lado, tente respondê-la e verifique a resposta do outro. Por exemplo, eles podem ser usados para estudar a lei seca, um idioma, regras gramaticais, e por aí vai.

Resumos tradicionais ou em tópicos

Aqui, a ideia é fazer o resumo tradicional mesmo, escrevendo em suas próprias palavras o que compreendeu da videoaula ou do PDF. Porém, cuidado para não fazer um resumo muito extenso. Tente se ater sempre às partes mais importantes e ao que é mais cobrado em prova.

Fichamentos

Em vez de produzir resumos, muitos futuros servidores preferem grifar o material escrito. Apesar de essa também ser uma forma válida de revisão, melhor do que apenas ler ou assistir uma aula sobre o assunto de mãos atadas, não deixe produzir algum tipo de material usando suas próprias palavras, de forma a facilitar a compreensão.

Questões e simulados

É através das questões e simulados que os candidatos percebem o que é mais cobrado nas provas. Além disso, depois de praticar com exercícios, uma outra dica é editar os resumos, retirando e adicionando tópicos que apareceram durante essa parte do estudo.

Áudios

Outra possibilidade é gravar áudios sobre o conteúdo estudado. Esses áudios podem ser ouvidos no transporte público, enquanto dirige, na academia, na cozinha e em vários outros momentos do dia.

Ensinar para outra pessoa

Segundo a teoria da Pirâmide da Aprendizagem, também chamada de Cone da Aprendizagem, elaborada pelo psiquiatra norte-americano William Glasser, nós absorvemos os conteúdos que estudamos de acordo com a forma como os recebemos.

Ele divide a proporção de que retemos da seguinte forma:

  • 10% do conteúdo quando lemos
  • 20% quando escutamos
  • 30% assistindo um vídeo ou apenas observando
  • 50% escutando e observando ao mesmo tempo
  • 70% quando conversamos ou debatemos um assunto
  • 80% ao ler, escrever ou colocar em prática um conteúdo
  • 95% ao ensinar alguém

Percebeu como ensinar a alguém também é uma forma de revisão? Ao elaborar uma explicação para outra pessoa, nós mesmos compreendemos melhor do que estamos falando.

Agora que você já sabe como funciona a curva do esquecimento, conta pra gente nos comentários qual método de revisão pretende experimentar primeiro!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *