fbpx

Como passar em concurso público?

Seja quem está começando a estudar, ou já estuda há algum tempo, uma pergunta comum é: qual é o segredo para passar em um concurso público?

A realidade é que não existe uma fórmula mágica, mas sim alguns passos que você pode seguir que ajudarão nesse caminho.

Segundo o professor Marco Ferrari, principalmente para quem está começando, é preciso saber o que são concursos públicos.

Em seguida, o futuro servidor deve pesquisar sobre as carreiras e áreas, matérias exigidas no concurso e quais disciplinas mais se identifica. Assim, ele está pronto para começar o planejamento.

O professor Marco falou sobre como dar esses primeiros passos e deu algumas sugestões para quem é mais experiente no universo dos concursos no programa “Desafio Aprender”, no canal da Folha Dirigida.

Você pode tanto assistir a live, que ficou gravada no canal, quanto ler neste post os principais assuntos discutidos, ok?

Quais são as áreas do concurso público?

Em geral, as principais áreas de concurso público estão divididas em:

A área de Tribunais é umas das maiores da esfera pública. Além disso, costuma ter muitas vagas e carreiras, desde analistas até as judiciárias. Também “pesca” um pouquinho de outras áreas.

Por sua vez, a área Policial é uma das mais famosas. Nela, estão carreiras públicas muito desejadas, como as polícias civis, militar, federal e rodoviária federal.

Do mesmo modo, a área Policial encontra-se dentro de uma outra área maior ainda: a de Segurança Pública. Dentro dela estão carreiras como Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), entre outras.

As carreiras Fiscais também representam a “menina dos olhos” de quem sonha passar em concurso público. Juntamente com os altos salários, são diversas as oportunidades nas secretarias municipais e estaduais de fazenda e na própria Receita Federal.

As carreiras bancárias também incluem concursos famosos, como o do Banco do Brasil e o da Caixa Econômica Federal.

O mesmo vale para a área Administrativa, que conta com o INSS, IBGE, prefeituras, câmaras municipais e diversos outros órgãos que compõem a Administração Pública do país.

Você pode saber mais sobre as demais áreas públicas aqui.

Áreas de concurso público

Cuidado: não escolha uma carreira apenas pela remuneração!

Marco Ferrari alerta: cuidado para não escolher uma carreira apenas pela remuneração. Por exemplo, isso acontece muito com o cargo de auditor-fiscal da Receita Federal.

Primeiramente, muitas pessoas fazem o concurso apenas pelo salário. Mas, podem se decepcionar ao perceber que não se identificam com a função. Há casos de servidores que até mesmo largam suas posições.

Por mais que a remuneração seja importante, gostar do seu trabalho também é. Em síntese, estar feliz e satisfeito faz parte da sua qualidade de vida.

Clube da Folha Dirigida - Conteúdo para concurseiro iniciante

Como funciona a prova de concurso público?

Antes de tudo, o professor Marco Ferrari divide as disciplinas cobradas nos concursos públicos em três categorias:

  • Básicas: que aparecem em todos os concursos
  • Complementares: que aparecem nos concursos de uma mesma área
  • Específicas: cobradas por determinado órgão

Vamos usar o exemplo de um concurso de Tribunal:

As disciplinas básicas seriam: Português, Direito Administrativo e Direito Constitucional.

Em seguida, as complementares seriam Direito Processual Civil, Direito Processual Penal e Direito das Pessoas com Deficiência.

Por fim, as específicas poderiam ser Direito Eleitoral e Legislação Específica.

Quando eu falo de escolher uma carreira é justamente para isso. Para já estudar as básicas e complementares e quando o edital sair ter que estudar só as específicas, justifica Marco Ferrari.

Ele recomenda começar na ordem básicas, complementares e específicas. Por fim, deixar as específicas para caso de iminência do edital ou de já saber o órgão e o cargo exatos para o qual você está estudando.

No caso de quem acabou de começar a preparação, partir das básicas e depois seguir para as complementares.

Disciplinas de concurso público

Por que é tão importante escolher uma carreira?

Segundo o professor Marco Ferrari, a importância de escolher uma carreira é justificável por fatores como:

  • Mais foco
  • Preparo antecipado
  • Facilita a preparação
  • Cria-se um horizonte de preparação
  • Maiores chances de aprovação

Ainda existe a possibilidade de estudar para mais de uma área. Melhor ainda se forem parecidas. Por exemplo, carreiras Administrativas e Bancárias têm muitas disciplinas semelhantes.

Como definir um objetivo de carreira?

Quanto mais delimitada for a sua escolha de carreira, melhor. Afinal, sabendo as disciplinas que precisa estudar, é mais fácil definir o seu objetivo. O professor lembra que, para alcançar um objetivo, é preciso:

  • Saber qual é o seu objetivo
  • Onde você está
  • Ter um plano para percorrer a distância entre onde você está e o seu objetivo

Quem já sabe a carreira que quer passar em concurso público, também tem mais chances do que quem fica pulando de área em área. Em outras palavras, foco é a palavra-chave!

Para quem está no primeiro contato com concursos públicos, o professor Marco também recomenda começar com concursos mais simples. Por exemplo, seleções de prefeituras, que não costumam ter mais de oito matérias.

Nesse sentido, concursos como para juízes, diplomatas, procuradores, delegados e outras carreiras, são mais complexos porque têm mais disciplinas. Para os que estão começando, será mais tranquilo organizar um ciclo de estudos com oito matérias do que com vinte.

Nesse aspecto, é como começar a malhar. Ninguém levanta 100kg na primeira vez. As pessoas começam apenas com a barra e vão adicionando o peso aos poucos.

Principalmente para aqueles que têm urgência em passar, o mais recomendado é começar por esse tipo de seleção. Afinal, depois que você alcançar uma vida mais estável, ficará mais fácil ter organização para estudar.

Claro que há exceções de pessoas que começam por concursos intermediários e passam de primeira. No entanto, são casos mais raros.

Como faço para escolher uma carreira?

De início, uma boa forma de tentar escolher a carreira é seguir a seguinte fórmula:

afinidade com a profissão + afinidade com as matérias = área provável

Lembre-se sempre que, depois de aprovado, precisará trabalhar naquela profissão! Portanto, é essencial ter afinidade com aquela prática. Em conclusão, o plano é exercê-la pelo resto da vida.

Outra forma de se encontrar é responder essas perguntas:

  • Qual sua área de formação (para quem tem ensino superior)?
  • Você gosta de Direito (matéria muito comum em concursos)?
  • Tem afinidade com matérias de Exatas?
  • Há alguma matéria que você tenha uma boa base?
  • Tem algum tema que considera impossível?

Se ainda assim você não conseguir se decidir e precisar de mais um tempo para pensar, não tem problema! Em outras palavras, já dá para começar os estudos para concurso com matérias que caem na maior parte das provas, como:

  • Português
  • Direito Administrativo
  • Direito Constitucional
  • Informática
  • RLM

“Elas não só representam o início do seu estudo, como algo que será fundamental para sua aprovação lá na frente”, afirma o professor Marco. “São as questões que geral manda bem, então você tem que chegar junto com essa galera”.

Segundo ele, a ideia é que você fique muito bom nessas disciplinas. Justamente por isso, elas nunca devem sair do seu ciclo de estudos.

Como escolher uma carreira

Planejamento x ciclo de estudos

Um erro comum é confundir plano de estudos com ciclo de estudos. Saber diferenciá-los é determinante para passar em concurso público.

O planejamento contém todas as atividades do seu dia a dia. Por exemplo, horário das refeições, do trabalho, e, inclusive, de estudar.

Já o ciclo de estudos é a organização das matérias que você pretende estudar. Ou seja, um complementa o outro. Afinal, ter um ciclo para encaixar no horário de estudos tornará o seu planejamento mais tranquilo, certo?

Assim, você já saberá qual matéria estudar naquele horário.

Como organizar o tempo de estudo?

O professor Marco também não recomenda deixar para estudar apenas em horas cheias. Se você tem quinze minutos livres no transporte público ou na sala de espera de um médico, já dá para ver algum conteúdo.

Também procure trabalhar com o conceito de horas líquidas, isto é, horas efetivas de estudo. Em outras palavras, é melhor estudar uma hora direto bem concentrado do que três horas com pouca ou sem atenção.

Inclusive, ciclos de estudo mais curtos com entre uma e duas horas distribuídas ao longo do dia é o mais recomendado para quem está começando. Por consequência, será mais fácil criar o hábito de estudar.

Por outro lado, não precisa esperar zerar uma disciplina antes de passar para outras. Quando você está estudando apenas as matérias mais básicas pode até funcionar.

No entanto, conforme for crescendo o número de disciplinas, acabará levando mais tempo para revisar os primeiros conteúdos estudados. Consequentemente, fica mais difícil superar a curva do esquecimento.

Em outros casos, quando o estudante se sente emperrado em uma disciplina ou assunto, basta mudar a metodologia, técnica de estudo ou até mesmo o professor.

Ferramentas de estudo

Por fim, Marco Ferrari indica as seguintes ferramentas de estudo:

Não existe uma fórmula mágica sobre como passar em concurso público, futuro servidor. Porém, boas práticas e um bom direcionamento colocam você no caminho para a aprovação!

Quer mais dicas para dar seus primeiros passos rumo à aprovação? Confira a playlist completa do “Desafio Aprender”.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *